Archive

Posts Tagged ‘Linux’

Informação Importante – Vírus Conficker

1 de April de 2009 Leave a comment

Galera…

Sempre publico um monte de besteiras, textos ou vídeos irrelevantes de certa forma, aqui no Blog, que na verdade mostra a minha real intenção com esse, ou seja, um simples passa-tempo.

Mas como o caso é sério, acho que devo publicar essa informação aqui também.
Sobre o Vírus Conficker.
O vídeo abaixo é uma gravação da matéria sobre esse vírus, que passou no Jornal Hoje, na Globo.

Então, acho que todos devem assistir essa matéria e se preparem para o que pode acontecer, ou então, seguir por um caminho alternativo, Migrar para o Linux! 8)

Enfim, assistam e se protejam. 😉

Advertisements

O.S. Revolution

3 de December de 2008 Leave a comment

Você trabalha com Tecnologia?
Ou gosta muito de informática, por exemplo?

Gosta de ler livros e ver documentários sobre Tecnologia?

Então com certeza já ouviu falar de O.S. Revolution. 8)

Documentário de 2001…
Com um tom didático e sacadas irônicas sobre o mundo Geek, Hackers e programadores que se rebelaram contra o monopólio de Bill Gates na década de 1980, contam de forma super interessante e completa a história do GNU… doLinux… do “Open Source“…
Falam sobre o Movimento do Software Livre no Mundo.

Todos os responsáveis… Richard Stallman, Michael Tiemann, Linus Torvalds, Larry Augustin, Eric S. Raymond, Bruce Perens, Frank Hecker and Brian Behlendorf… Aparecem contando sua parte na história.

Desde contato com Grandes Investidores no Mercado de Ações até Detalhes sobre a GPL.

The vídeo below is in English, in English Language…
If what you know about this language, i’m sorry…
I can’t do anything…
Only you can do!
Visit http://www.livemocha.com, create your account and let’s go this language.
Don’t is hard.
I know what I’m speaking…
Go to me!
Go to me?
Exist this expression?
I go find about this…
Well, Watch OS Revolution…
Surfing in here… Without any problem…
This Blog Your Blog!
My brother! 8)

IPhone com Linux… Dúvida?

1 de December de 2008 1 comment

Os caras são foda!
Essa é a melhor expressão a ser usada nesse momento.
Não concorda?
Meu, criaram um Device/Aparelho/Hardware/Sei lá!… com arquitetura fechada…
Os caras foram lá, arrepiaram, viraram de ponta-cabeça, quebraram a criptografia do mal, codificação do dêmo e Logaram como Root! 8)

Áááááh, parei!
Olha isso.

Word Of Bit

Linux – Ubuntu 8.04

7 de November de 2008 Leave a comment

Você somente usou até hoje, Windows como Sistema Operacional, independente de ser Desktop ou Servidor?

No que diz respeito a Desktop, seja em residências ou escritórios, muito se falou em Windows Vista.
Inclusive nos problemas desse Sistema Operacional, que na verdade, não foi feito para funcionar, de fato! 8)

Bom, eu sou usuário Linux faz um tempo.
Já usei várias distribuições… De Debian à Slackware.

Uma distribuição que vem melhorando muito, tanto na versão para Desktop’s quanto para Servidores, é o Ubuntu

Não vou entrar muito em detalhes não, pois isso é o que mais tem na net. 😉
Mas o que me chamou muito a atenção, são os recursos gráficos e efeitos 3D disponíveis nessa nova versão, 8.04.
Veja que fantástico e espero que seja um dos pretestos para você conhecer esse ‘novo mundo’ também, caso ainda não tenha feito. 🙂

Via: Carreira De TI

Para entender, tem que ser NERD! ( Parte 1 ) =D

16 de October de 2008 Leave a comment

A Criação do Mundo Segundo o “Root” – Parte 1 – O surgimento do sistema

Capitulo 1 – O Caos

No inicio havia apenas o caos. Não havia superblocks e todos os inodes estavam espalhados pelos setores. Tudo era devastação. Havia apenas o ““Root”” sobre a superfície do disco.

Vendo tudo aquilo, ““Root”” resolveu tomar uma atitude: Isso nao pode continuar assim… e o root fez fdisk e eis que surgiram grandes divisões nos setores. Havia setores abaixo e acima dos dados. Os abaixo dos dados, ele chamou de tabela de partições e os acima dos dados, ele chamou de freeblocks.

“Root”” resolveu formatar os espaços criados. Os setores então, foram organizados. Ainda existiam grandes superblocks na profundeza das águas e os inodes estavam sobre a superfície do disco. ““Root”” passou a chama-los, os inodes, de filesystem. ““Root”” viu que isso era bom e gravou a tabela de filesystems no fstab.

Capitulo 2 – O Inicio do sistema
“Root”” olhou para o filesystem e viu que faltava algo ainda. Resolveu criar grandes diretórios e pequenos devices. E viu que isso era bom.

Então ““Root”” viu o que havia criado até então. Como tudo funcionava perfeitamente. Mas faltava algo… e disse: Passe a haver vida! (…) e foram criados os processos do kernel e o init.

E eis que era bom… e ““Root”” editou então o rc.d e instalou a glibc… e veio a haver luz. ““Root”” então passou a chamar o que havia criado de sistema.

Capitulo 3 – O surgimento do usuário

… então ““Root”” passou a tomar dos bytes da memoria e dos dados do urandom e dele formou o usuário. Ao usuário foi concedido o shell… e o usuário passou a viver. ““Root”” então disse: – Venha ter em sujeição os diretórios do disco e os bytes da memoria. De todos os recursos podeis utilizar, apenas não toqueis no su, pois lhe digo que, no dia em que tocares no su, farei um kill -9 em teu shell e apagar-te-ei do passwd.

E o usuário passou a viver no jardim do /home e eis que tudo era bonito e perfeito dentro daquele diretório. O usuário vivia feliz em seu home directory.

Capitulo 4 – A criação da interface gráfica

O usuário vivia feliz, mas sentia que lhe faltava algo. Cada nod possui seu device no sistema, mas o usuário nao tinha ninguém para lhe fazer companhia. ““Root”” passou e extrair uma instrução no shell do usuário, e dela passou a formar a interface grafica… e esta chamou-a de X. Então ““Root”” levou X ate o usuário e disse-lhes: Sede fecundos e tornai-vos muitos… populai o filesystem e usai toda a memoria da placa de video. 😀

E o usuario então, passou a viver com a interface gráfica e eis que agora ele podia multiplicar seus terminais.

Capitulo 5 – A traição da interface gráfica

A interface gráfica andava a passear pelo filesystem, quando eis que vem em sua direção o mais vil de todos os arquivos criados pelo root: o HOWTO-SU. E o “HOWTO” incitava a curiosidade da interface gráfica… E lhe dizia: É mesmo assim que o root disse, que não deveis usar o su? Pois eis que o root sabe que no dia que usares o su, positivamente vos tornareis igual a ele… e podereis decidir muitas coisas… Se o homem é bom ou se o é mal… e podereis criar outros usuários, e nods, e formatar os discos.

HOWTO se sentiu comovido e permitiu o usuário a usar o man pages.

A interface gráfica foi ate o usuário e lhe contou estas coisas, lhe mostrou a manpage. O usuário então digitou su no seu console e eis que o # aparece em seu prompt… e ele passou a ver que estavam ambos limitados na memoria e que tudo podia ser visto pelo /proc. Ambos ficaram envergonhados e se esconderam do utmp.

“Root”” então passou a fazer um who no sistema e viu ambos se escondendo. Perguntou-lhes: Por que se esconde? Acaso digitastes su em teu console?
… e o usuário respondeu-lhe: Foi essa interface que me destes. Ela passou a me mostrar as manpages e os howtos, e por isso digitei.

“Root”” tomou uma decisão objetiva e contra suas criações. Amaldiçoou a ambos, dizendo-lhes: Vos sois amaldiçoados! Lhes digo que tuas senha expirarão, e tuas entradas no passwd serão apagadas… E tu, interface gráfica, estas amaldiçoada também. Nenhuma placa aceleradora funcionara bem em ti e sempre terás pouca memória de vídeo. E eis que vos amaldiçôo a ambos e eis que vira a haver o inimigo e dividiras teu espaço em disco com o Windows… e ele travará e te dará badblocks e lost inodes e pelo resto de tua existência terá que conviver com a desgraça, até que tua senha expire definitivamente.

E tu, howto-su, maldito estás, e teus HOWTOs estarão sempre incompletos, e estarás rastejando para sempre no tldp.org… E ninguém lerás mais tuas “man pages” e todos os usuários irão perguntar no irc como faz.

Root deixou-os e corrompeu o filesystem e mudou as permissões do /home para que o usuário não pudesse mais voltar ao jardim do “HomeDirectory”… e o usuário passou a ter que compilar seus programas, e escrever seus módulos.

E assim se deu.

Read more…

Não "mânja" nada de Linux? Sem problemas…

4 de October de 2008 1 comment

Hoje em dia o Windows não é o único ou o mais usado Sistema Operacional, seja em Máquinas Desktop ou Servidores.
Vemos outros Sistemas Operacionais sendo usados em grande escala como Sistema Base para vários tipos de serviços, sejam eles gráficos, de monitoria, de missão crítica ou para fins residenciais.

Falando de Sistemas baseado em Unix, um exemplo fácil; Muitos Desktops lançados e vendidos hoje por empresas, digamos, que tem a população de baixa renda como clientes em primeiro foco, tem uma versão/distribuição Linux como Sistema Operacional. Independente da versão ou distribuição, como chamamos/como citei acima, instalado na máquina. O ponto é que a base do sistema é a partir de Sistemas Unix.

Eu sou um fã incondicional e Usuário Ascíduo de Sistemas Operacionais Linux, mas não militante, radical, digamos. Ou seja, sei da importância que o Windows, por exemplo, tem no mercado e não deixo de estudar sobre ou usá-lo as vezes também, até porque a função profissional que exerço hoje pede que eu não deixe o R-Windows ‘de lado’. 😉

Bom, mas fato é que muitas pessoas não vêem isso como realidade e estão deixando de aprender algo que faz diferença, inclusive no que diz respeito ao Mercado de Trabalho.

Muita documentação existe atualmente na internet, não só em relação ao Linux, mas referente a quase todos os assuntos que possamos imaginar. Ou melhor, na internet encontramos de tudo, literalemte!

Ééé, assim é melhor. rs. 🙂

Nesse post vou citar um artigo que achei bacana, onde são apresentados alguns comandos básicos do Linux, mas que se adeqüam a qualquer distribuição e resolvem muitas coisas.

O artigo foi publicado no site Viva o Linux ( http://www.vivaolinux.com.br ), o qual tem como principal ponto a comunidade extremamente ativa e que faz o conteúdo do site ser uma fonte incrível de informações.

O criador do artigo é Italo Fonseca.
Qualquer dúvida ou crítica, por favor, direcionem à ele estritamente! 😉

1. Comandos básicos do Linux – parte 1

Comandos para manipulação de arquivos e diretórios.

1. Comando ls (lista informações sobre os arquivos e conteúdo dos diretórios)

Exibe apenas os diretórios (ambos os comandos abaixo):

$ ls -l | grep ^d
$ls -d */

Exibe os arquivos ocultos, iniciados com “.”:

$ ls -a

Exibe os arquivos ocultos, exceto o “.” e “..”:

$ ls -A

Exibe as informações referentes aos arquivos e diretórios em colunas:

$ ls -l

Para exibir os arquivos com seus tamanhos em KB, MB e GB, basta adicionar o h:

$ ls -lh

Exibe os arquivos na ordem inversa (alfabeticamente):

$ ls -r

Exibe o diretório e seus respectivos subdiretórios (adicionando o “| more”, ajuda na melhor visualização):

$ ls -R | more

Exibe o número do inode (identificador único que cada um arquivo recebe) de cada arquivo/diretório:

$ ls -i

Exibe o UID (Identificador do usuário) e GID (Identificador do grupo) do arquivo:

$ ls -nl

Exibe além de outras informações, o dono do arquivo/diretório:

$ ls -o

Exibe “/” no final de cada diretório, “*” para executáveis e “@” para os links:

$ ls -F

Exibe uma lista de arquivos/diretórios ordenados pela data de criação:

$ ls – Fltr

Exibe todos os arquivos com a extensão “txt”:

$ ls -l *.txt

Exibe todos os arquivos com a extensão “txt” que contenham a palavra “ubuntu”:

$ ls -l *.txt | grep ubuntu

Exibe o número de quantos arquivos existem num diretório:

$ ls -A | wc -l

Exibe o número de quantos diretórios existem num diretório:

$ ls -A -p | grep “/” | wc -l

Essas foram algumas formas de se utilizar o comando ls. É sempre bom dar uma pesquisada no seu manual e/ou help através dos comandos:

$ man ls
ou
$ ls -help

2. Comandos básicos do Linux – parte 2

3. Comandos básicos do Linux – parte 3

Categories: Artigo, Dicas Tags: ,