Tutoriais

MySQL no IPhone.Instalando o MySQL no IPhone

Esses dias um colega me mostrou um Tutorial apresentado no iMasters, onde é mostrado o passo-a-passo para a Instalação do MySQL no IPhone.

A primeira pergunta que eu fiz:

– Mas ‘pra’ que isso?

Nas palavras de “Mauro Pichiliani”, o escritor do Post, temos a resposta:

“A idéia para instalar o MySQL no iPhone tradicional, e não o 3G, surgiu da necessidade de utilizar este aparelho durante minhas consultorias. Como trabalho com diversos bancos de dados, faz sentido instalar o MySQL no iPhone para realizar testes, explicar conceitos ou mesmo consultar alguns dados de armazenamento. Além disso, atualmente já existem diversas aplicações portadas para o iPhone que NÃO foram feitas com o SDK. Como explicarei mais abaixo, estas aplicações são baseadas em um compilador desenvolvido por um hacker que permite portar diversas aplicações existentes para o iPhone. Entre estas aplicações podemos instalar aplicativos de desenvolvimento, como Apache, PHP, MySQL e outros.”

Bom, tu já tens o teu iPhone?
Precisa do MySQL para algo?

Então, Clique Aqui e Veja o Tutorial!

.
.
.
.

Trabalhando com o MySQL Query Browser – Parte 01

Após ler este artigo, primeira parte da série, você estará apto à:

Definir o que é o MySQL Query Browser;
Utilizar o Connection Management para armazenar suas configurações de conexão;
Analisar dados recuperados na área de reultados;
Definir e utilizar os recursos do Query Browser e Information Browser;
Utilizar o MySQL Table Editor;
Com todos os tópicos acima referenciados, conseguiremos apresentar todo o MySQL Query Browser para que você inicie rapidamente a utiliza-lo, sem que haja nenhum problema, tanto no Windows quanto no Linux.

O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado para administrar um servidor MySQL, o MySQL Query Browser foi criado para auxiliar você a selecionar e analisar dados armazenados dentro de um Banco de Dados MySQL.

Enquanto todas as solicitações executadas no MySQL Query Browser também podem ser executadas pela linha de comando utilizando-se o utilitário mysql, o MySQL Query Browser permite a execução e edição dos dados de maneira gráfica, que é mais intuitiva para o usuário.

MySQL Query Browser foi projetado para trabalhar com versões 4.0 ou superiores do servidor MySQL, tanto em ambiente Windows quanto em sistemas operacionais Unix-Like. Após baixar o pacote no site da MySQL, proceda com a instalação, que no Windows é baseada na modelo NNF (Next-Next-Finish) e no Linux, basta descompactar o arquivo e executá-lo além de contar com suporte a janelas com o X Window System.

Nesse momento já podemos iniciar com os procedimentos práticos com o MySQL Query Browser.

A grande pergunta que temos que responder no momento é que, o MySQL Query Browser ou mesmo o Administrator não estão disponíveis no mesmo pacote que o MySQL, ou seja, após instalar o MySQL Server, você ainda terá baixar o pacote chamado mysql-gui-tools, disponível no site da MySQL acessando a Developer Zone.

Ao iniciar o software, a primeira tela que lhe aparecerá será a tela referenciada na Figura 01, que mostra o que é chamado de Connection Dialog.

Query Browser 01
Figura 01 – Connection Dialog – solicita informações para conexão com o banco de dados.

Perceba que o único campo que já preenchido é o campo que referencia a porta a qual está sendo utilizada para o MySQL no sistema operacional. Os campos abordados na figura devem ser preenchidos para que na seqüência, ao clicar em OK, o Query Browser providencie uma conexão com o servidor MySQL que roda neste host. Vejamos o significado de cada um deles:

– Stored Connection: neste campo, podemos escolher um perfil já criando anteriormente, com todas as informações já disponíveis, que permanecem armazenadas em um arquivo XML chamado mysqlx_user_connections.xml, localizado no diretório do MySQL, no sistema de arquivos do sistema operacional;

– Server Host: neste campo, devemos informar o nome do host (servidor hospedeiro) onde o MySQL está atualmente em funcionamento, basicamente, aonde o MySQL está rodando. Podemos informar um vamos DNS ou mesmo um endereço IP;

-Username: é onde você informará o seu nome de usuário, previamente criado e com as devidas permissões no MySQL;

– Password: a senha que fora atribuída ao seu usuário;

– Default Schema: aqui informamos o nome do banco de dados com o qual queremos estabelecer uma conexão utilizando o MySQL Query Browser;

– Port: esse campo já vem preenchido com 3306 já que esta é a porta padrão para o MySQL, mas, caso tenhamos mais de um MySQL rodando na máquina em portas diferentes, podemos alterar esse número para aquele que desejarmos.

Perceba também que ao fim da caixa de seleção Stored Connection, temos um botão pontilhado. E é este botão que nos permitirá armazenar conexões para que futuramente, quando voltarmos a utilizar o Query Browser, não precisemos informar tudo novamente, bastando informar somente a senha, já que esta por motivos de segurança, não deve ser armazenada.

Ao clicarmos no botão, abriremos uma nova janela que é chamada de Connection Profiles para então criarmos uma nova conexão, que nos permitirá armazenar conexões variadas com bancos de dados variados contidos no MySQL. A seguinte figura (Figura 02) cria uma conexão de nome MyConnection, para o usuário root, com Hostname 127.0.0.1, na porta 3308 e Schema (banco de dados) de nome world, após clicarmos em Add New Connection.

Query Browser 02
Figura 02 – Adicionando uma nova conexão utilizando o Connection Profile.

Após finalizar o preenchimento dos campos, clique em Apply e posteriormente e Close. Basta então selecionarmos nossa conexão na caixa de seleção da janela Connection Dialog e informar a senha para efetivarmos a conexão com o servidor MySQL. A Figura 03 mostra um exemplo.

Query Browser 03
Figura 03 – Basta clicarmos em OK para iniciarmos com o Query Browser.

Antes de clicarmos em OK para estabelecermos a conexão e de fato inciar os trabalhos com o Query Browser, percebam que ainda temos um botão chamado Details ao lado esquerdo do botão OK. Nessa área poderemos selecionar algumas configurações que serão aplicadas a esta conexão, como utilizar o protocolo de compressão de dados (tornará o retorno de dados um pouco mais lento, pois os dados serão compactados na seleção e descompactados na entrega no cliente), pode-se utilizar SSL (Security Sockets Layer) ou ainda habilitar para esta conexão a opção do SQL MODE quote identifiers ( “” ). A Figura 04 mostra o complemento do Connection Dialog, com as opções de detalhes da conexão.

Query Browser 04
Figura 04 – Detalhes da conexão na tela Connection Dialog.

Utilizando o MySQL Query Browser
Após efetuarmos toda aquela série de configurações iniciais para armazenamento de conexões com o Connection Profile e o Connection Dialog, chegamos à tela principal do MySQL Query Browser que é onde efetivamente começaremos a interagir com o servidor de bancos de dados MySQL. A primeira tela que lhe é apresentada após a autenticação é a tela principal que lhe provê integração com todo o ambiente da interface gráfica, como mostra a Figura 05.

Query Browser 05
Figura 05 – Áreas relacionadas do Query Browser.

Especificando:

– Query Area: é o local onde entramos com os comandos SQL que são executados pelo SGBD, como consultas DML, DCL e DDL. Na Figura 05 esta área encontra-se minimizada, podendo ser estendida acessando o menu superior View >> Máxime Query Edit ou pelo atalho F11. Após o F11, esta área ficará como mostra a Figura 06;

Query Browser 06
Figura 06 – Query Área maximizada com F11.

– Result Area: nessa área é disponibilizado os resultados das interações de consultas enviadas ao SGBD MySQL. No exemplo da Figura 07, uma consulta simples a tabela city do banco de dados world e os resultados:

Query Browser 07
Figura 07 – Área de Resultados com os resultados de uma consulta à tabela city.

– Object Browser: esta área contém um macanismo de abas que nos permite acessar 3 áreas em uma só, assim como mostra a Tabela 1:

Query Browser 08
Tabela 1 – Abas disponíveis no Object Browser do MySQL Query Browser.

Em cada uma das abas temos funcionalidades interessantes:

– Schemata: nesta aba são listados os bancos de dados, tabelas e seus atributos, que nos permitem várias outras funcionalidades se clicarmos, por exemplo sobre um nome de uma tabela e em seguida clicarmos em Edit Table, o que veremos mais à frente. Os dados dessa aba são obtidos internamente consultando o banco de dados INFORMATION_SCHEMA que é o banco de dados que matem os metadados do SGBD MySQL. Interessante prestarmos atenção pois, o banco de dados do contexto atual, ou seja, aquele com o quel o Query Browser está conectado no memento, é colocado em negrito, como acontece com o banco de dados world;

– Bookmarks: esta aba é bastante interessante para desenvolvedores pois permite que criemos marcações de consultas que mais utilizamos. Poderíamos criar procediemtnos armazenados, mas o Query Browser nos permite armazenar de forma fácil sem que tenhamos que disponibilizar o nosso recurso a outros usuários do banco de dados de forma prática e intuitiva. Basta clicar com o botão direito sobre a pasta Bookmarks e em seguida criar uma nova pasta. Crie um comando na área de consulta, selecione este e o arraste para a nova pasta criada para seus Bookmarks. Ele será listado de forma hierárquica e com isso, basta que você execute a marcação criada para que elea seja executada;

– History: esta aba armazena todos os comandos executados desde a instalação do Query Browser. Clicando sobre qualquer comando, este será executado na Query Area.
Information Browser: esta área provê acesso à documentação, parâmetros de consultas e informações de transações correntes na Query Area. Esta área também apresenta uma estrutura de abas contendo as seguintes sub-areas (Tabela 02):

Query Browser 09
Tabela 02 – Abas do Information Browser.

– Syntax: apresenta uma documentação interessante relacionado com a sintaxe SQL do MySQL;

– Functions: aba que apresenta uam biblioteca de funções suportadas pelo MySQL, separadas em String, Numéricas, Date and Time e outras;

– Params: mostra os parâmetros que utilizados nesse momento;

– Trx: exibe as partes das transações correntes no servidor de banco de dados.
Table Editor
Trabalhando com base no Object Browser, na aba Schemata, podemos utilizar o Table Editor para criar e editar tabelas facilmente. Basta clicarmos com o botão direito sobre uma das tabelas, selecionar Edit Table ou Create New Table que o editor será aberto, como mostra a Figura 08.

Query Browser 10
Figura 08 – Criado novas tabelas com o Table Editor do MySQL Query Browser.

Conclusão
Nessa primeira parte, apresentamos as funcionalidades básicas do MySQL Query Browser e existem claramente muitos outros conceitos que veremos em nos próximos artigos como a criação de procedimentos armazenados (Functions, Triggers e Porocedures), criação de Views, trabalhar com Foreign Keys e criação de índices.

Para a parte dois desta série de artigos, veremos como criar Índices e Foreign Keys através do Table Editor e como automatizar a escrita de consultas que utilizam JOINS.

Referências Bibliográficas
MySQL Manual – http://dev.mysql.com/doc/query-browser/pt/mysql-query-browser-introduction.html

MySQL 5.0 Certification Guide
By:Imasters

%d bloggers like this: